Inicialmente este blog foi criado para armazenar algumas dicas e links de UNIX/Linux, OpenVMS, linguagem C, Assembly, TCP/IP e nerdezas afins. No entanto devido ao autor ter abandonado o seu plano de ser um super hacker e dominar o mundo (devido esposa, família, filhos, trabalho), a partir de 2012 este blog tem um tipo de nerdeza mais light (Android, Linux, RetroPie (retrogames), produtividade, e por aí vai). Estas dicas raramente serão criações minhas.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Porque escolhi o Linux Mint Debian Edition 2 MATE

Faço aqui um breve relato de como cheguei ao LMDE2 e das motivações que me fizeram escolhê-lo como minha distribuição "de trabalho" em um computador modesto que tenho aqui. Reforço que em computadores de amigos que eu esteja "convertendo" para o Linux, eu continuo usando as versões Linux Mint baseadas no Ubuntu, conforme disse nesse post: <http://mdicas.blogspot.com.br/2015/06/linux-mint-solucao-ideal-para-quem-esta.html>.

Eu tenho um notebook HP Pavilion dv2-1110br (alguns chamariam de subnotebook outros de supernetbook), ele vem com um processador AMD Athlon Neo MV-40 (64bits), e tem 2GB de RAM. Não é um computador possante, mas eu gosto muito dele devido ao seu tamanho portátil (tela de 12 polegadas) sem ser tão pequeno quanto um netbook. É leve e cabe em qualquer mochila tranquilamente. Devido à mencionada configuração um pouco modesta, eu fico querendo encontrar uma distribuição que o deixe com um desempenho bacana. Então agora vou contar um pouco sobre essa minha busca. ;)

Quando comecei esta busca, eu usei o crunchbang! (baseado no Debian). Até que estava curtindo, mas a distribuição foi descontinuada recentemente...

Usei o Linux Mint XFCE Edition (baseado no Ubuntu) por um bom tempo. O XFCE tem a fama de ser leve, e o sistema rodava até bem. Mas engasgava muito quando eu tentava ver um vídeo 720p no vlc, ver vídeos no youtube era sofrível. Mas fora esses entretenimentos com vídeo, no geral o sistema rodava bem. Mesmo assim continuei minha busca...

Fui pro Archlinux. Gostei muito da filosofia Arch. Vi até uma piadinha por aí, dizendo que o Arch Linux é a distribuição para quem gosta de passar mais tempo configurando seu sistema do que efetivamente utilizando o sistema. Tive que concordar... :D Particionei o HD e deixei o Arch ali, pra eu ficar brincando nele. Mas continuei na busca de uma distribuição mais completinha, onde eu não precise configurar todo e qualquer detalhe do sistema antes de conseguir ir logo pagar minhas contas no site do meu banco, por exemplo.

Ouvi falar do Manjaro, que é uma distribuição baseada no Arch Linux e tem duas versões: Openbox e XFCE. UAU! Tudo que eu curto: Arch Linux, XFCE e Openbox (que comecei a curtir devido ao crunchbang!). Porém foi uma tremenda desilusão! Tanto a versão XFCE como a Openbox tinham um desempenho sofrível na minha máquina.

Testei também o Zorin OS 9 Lite e gostei muito do desempenho. Mas como este sistema só existe na versão 32bits e o meu processador é de 64bits, eu fico com aquela sensação de estar sub-aproveitando meu hardware... Mas reafirmo: o desempenho do Zorin OS 9 Lite é muito bom em máquinas antigas. Tanto é que o instalei num outro notebook que tenho há mais de 10 anos (processador 64 bits) e estou feliz com ele lá (até falei disso em neste post: <http://mdicas.blogspot.com.br/2015/06/dando-uma-nova-vida-para-aquele-seu.html>).

Testei também o Linux Mint MATE Edition. Fiquei surpreso com a responsividade do sistema. Também curti bastante o fato dele ser sem muita firula, leve, e muito bem integrado. Para minha surpresa o desempenho ficou um pouco melhor que o Linux Mint XFCE Edition! Em termos de consumo de memória, os dois são bem parecidos, mas eu tive uma percepção de que a responsividade do MATE era melhor. Com um aperto no coração, tive que abandonar o XFCE, parceiro de longas datas (since 1999), e abraçar o MATE como meu novo ambiente desktop queridinho.

E então recentemente o pessoal do Linux Mint anuncia que a sua versão baseada no Debian vai migrar para a versão stable (e não mais testing). Também li no próprio blog do pessoal do Linux Mint que o LMDE2 seria um pouco mais limpinho e leve do que as versões baseadas em Ubuntu. OPA! Despertou meu interesse. Instalei a versão MATE do LMDE2 aqui e fiquei feliz com o resultado. E esta é a minha distribuição "de trabalho" neste computador. Uma desvantagem que eu tenho que mencionar a respeito da LMDE2 é que como é baseada no Debian, não é possível utilizar os repositórios PPA, que são comuns no Ubuntu e possuem muitos softwares bacanas. Mas para quem está acostumado a resolver as coisas da maneira Debian, eu indico fortemente o LMDE2!

Ah! Eu não parei por aqui! :D Como eu já disse, o HD está particionado e de vez em quando eu vou testando outras distribuições para ver se acho alguma ainda mais leve. Pois eu vi um review do Antergos, que é baseado no Arch Linux, e vi que ele tem uma opção de instalar só o Openbox. Fui testar e fiquei decepcionado. Como que uma distribuição somente com o Openbox pode ter um desempenho tão sofrível? Assistir um vídeo no youtube era impraticável! Desisti.

Fui tentar lubuntu também. Não curti o desempenho e nem a configuração pós-instalação. Percebi que ia ter que ficar mechendo em um monte de coisinha para deixar do meu jeito, e como já não estava satisfeito com o desempenho, desisti.

Você pode estar com aquela vontade de dizer: peraí!!! Você quer dizer que o LMDE2 MATE tem um desempenho melhor que o lubuntu?!?! Minha resposta: na minha máquina e com a minha percepção, sim! Não fiz nenhum benchmark para afirmar isso com uma precisão técnica. Mas no que cabe à percepção do usuário, a minha resposta é sim. Lembre-se, o lubuntu é baseado no Ubuntu, e o LMDE é baseado no Debian. Este melhor desempenho percebido pode ser derivado deste fato. Me parece que o Debian é mais "enxuto" que o Ubuntu.


Agora eu já encerrei minha busca: o meu HP Pavilion dv2-1110br fechou no LMDE2 MATE como distribuição "de trabalho" numa partição; e em outra partição voltei com o Arch Linux para as nerdezas (a propósito, no Arch eu fico nerdeando muito em modo texto, mas quando preciso do ambiente gráfico eu continuo usando o XFCE :D ).


Termino aqui com uma promessa de que em breve postarei aqui algumas personalizações interessantes para o ambiente desktop MATE.

2 comentários:

Anderson Brandão disse...

Muito legal o seu blog. Também passei por várias distribuições e agora estou no LMDE 2 Cinnamon. Vou experimentar o MATE quando for formatar da próxima vez.

Saymon Passos disse...

Show meu amigo tenho um LENOVO ThinkPad com esta mesma configuração com Lubuntu, ele é meu xódó vou testar o LMDE2 MATE. VAlew Obrigado pela dica.

tags